Segunda, 09 Setembro 2019 21:48

Santander: campeão de ilegalidades

O banco Santander é o rei das ilegalidades. Em pouco mais de dois meses desrespeitou normas de segurança retirando portas giratórias de agências, demitiu uma bancária grávida e tentou impor o trabalho aos sábados. Neste último caso alegou cinicamente que a decisão seria voluntária.
A porta giratória é exigência federal, prevista ainda por lei estadual. Em 27 de agosto, representantes do banco reuniram-se com deputados na Assembleia Legislativa (Alerj), entre eles o autor da lei, Carlos Minc (PSB) e Waldeck Carneiro (PT), além do diretor do Sindicato Marcos Vicente. Diante dos relatos dos sindicalistas, os parlamentares ficaram de entrar em contato com a Polícia Federal para resolver o problema. Devido à pressão dos bancários e das entidades sindicais da categoria, o Santander suspendeu o trabalho aos sábados, que alegava ser voluntário. A medida contrariava a CLT que prevê jornada de trabalho de seis horas diárias e 30 semanais. Como se não bastasse, demitiu uma bancária grávida, reintegrada pelo Sindicato (ver matéria na página 2).