Segunda, 08 Julho 2019 15:43

12 de julho é dia nacional de mobilização contra a Reforma

Escrito por Gabriel de Oliveira

A sexta-feira do dia 12 de julho marcará mais um dia histórico de mobilização popular contra a Reforma da Previdência do governo Bolsonaro. A Central Única dos Trabalhadores em conjunto com as centrais sindicais está convocando os trabalhadores para irem às ruas, marcarem presença nas mobilizações regionais ou estaduais que acontecerão pelo país.

O ato

            Em Brasília acontecerá o ato principal, mas por todo o Brasil acontecerão atividades e mobilizações em oposição à Reforma. Representantes dos trabalhadores estarão organizando atos para a conscientização dos impactos negativos dessa proposta do governo Bolsonaro, e também a coleta de assinaturas para o abaixo-assinado, que será entregue no dia 13 de agosto ao Congresso Nacional.

Mulheres

            Mais prejudicadas nessa proposta de Reforma, as mulheres deixarão de se aposentar por tempo de contribuição, passando a ser obrigatório a idade mínima de 62 anos para o uso do benefício. Além do mais, a idade mínima para se aposentar aumenta para 15 anos totais de contribuição.

A Reforma

            Carro-chefe na campanha de Bolsonaro para a presidência e inspirada no modelo do Chile de 1981, a Reforma da Previdência propõe o aumento da idade mínima para aposentadoria, levando homens e mulheres para o aposento, somente após os 65 e 62 anos, respectivamente. Além do aumento, para receber 100% do benefício, o trabalhador deve ter pelo menos 40 anos de contribuição, tendo como tempo mínimo exigido 20 anos para os homens, e 15 para as mulheres. Valores do benefício serão menores, bem como a pensão por mortes também.