Quarta, 10 Julho 2019 13:35

Morre aos 77 anos o jornalista Paulo Henrique Amorim

Dono do bordão: “Olá, tudo bem? ”, faleceu após infarto fulminante
Escrito por Gabriel de Oliveira

Na madrugada dessa quarta-feira (10), o jornalista Paulo Henrique Amorim faleceu de infarto fulminante em sua residência, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Geórgia Pinheiro, sua esposa, confirma que ele havia retornado de um jantar com amigos pouco antes de sua morte.

Referência na comunicação brasileira, Paulo Henrique Amorim teve sua origem no jornalismo impresso ao início dos anos 60, mas se consagrou no meio televisivo, que por décadas fez trabalhos jornalísticos de destaque nas emissoras: Rede Bandeirantes, Globo e Rede Record.

Paulo foi fundamental em diversas coberturas por onde trabalhou, como a presença na renúncia de Jânio Quadros em 1961, a expansão do vírus Ebola, na África em meados de 1975 e 1976, a posse do presidente americano Bill Clinton, em 1993, o terremoto de Los Angeles em 1994, e guerras civis no México e Ruanda, também na década de 90.

Crítico da gestão de governo Bolsonaro, o jornalista que desde 2006 realizava a apresentação do Domingo Espetacular foi afastado de seu programa noturno em junho, dois anos antes da expiração de seu contrato com a emissora. Apesar de descartada pela Record, estima-se que o motivo do seu afastamento havia sido por causa do posicionamento político manifestado em seu blog, Conversa Afiada.

Premiado por quatro vezes em seus 58 anos de profissão, também foi responsável pela criação de quatro livros. Torcedor do Fluminense, esteve no Maracanã durante a final da Copa América 2019, e realizou sua última postagem nas redes sociais, um meme criticando o Ministro da Justiça Sergio Moro.

Após a confirmação da sua morte, diversas celebridades e figuras públicas estão prestando homenagens ao jornalista que deixa sua esposa e uma filha.