...::: Bancário Rio de Janeiro :::...
  Em Cima da Hora
Twitter   Facebook
 
 
Ação dos Caixas

Diante da informação veiculada pela página do TRT na internet, no processo ajuizado pelo Seeb contra o Banco Banerj (atual Banco Itaú) - 650-1989-015-01-00-0, que abrange os caixas (incluam, por favor, os outros cargos), no sentido de que foi comprovado pelo banco em 9 de novembro de 2009, um depósito no valor de R$ 3.400.000,00 e, em 11 de novembro de 2009, expedido um alvará, o SEEB esclarece :
- NÃO foi realizado, recentemente, qualquer depósito pela reclamada no processo.
- A guia lançada na informação processual tramitada em 9 de novembro de 2009 refere-se a um depósito realizado pelo banco no ano de 2002 e que já foi recebido pelo bancários.
- O lançamento desta guia em 9 de novembro de 2009 decorreu da alteração do sistema de informática do Tribunal, que, atualmente, exige, para fins de expedição de qualquer alvará, o registro de todos os valores depositados no processo.
- O alvará expedido em 11 de novembro de 2009 refere-se ao crédito individual do dependente de um bancário que não recebeu na época do pagamento os demais beneficiários do processo, em razão de problemas ocorridos na sua habilitação. O valor deste alvará individual equivale à importância já recebida pelos bancários.
Prestados estes esclarecimentos, o SEEB informa que, após a expedição deste alvará individual em 11 de novembro de 2009, o processo retornará ao juiz para despacho na nossa última petição, que requereu a expedição dos alvarás para os dependentes dos bancários falecidos que não tiveram ainda a habilitação autorizada, bem como para apuração das diferenças salariais ainda devidas pelo banco.

 

Arquivo: Ação contra a Contec.

Data: 18 de junho 2009.

Informe-se sobre o andamento da ação conta o acordo da Contec (processo 618, 37ª Vara do trabalho, 1994)

 

O Sindicato conseguiu garantir o direito à correção dos valores pagos na ação contra a Contec. O perito nomeado pelo juiz já fez os cálculos e o Sindicato foi chamado a se manifestar.
No entanto, segundo o calculista do Sindicato, o perito só atualizou os valores até 2006, ano em que foi paga a primeira parcela. Em função disto, o advogado do Sindicato reivindicou ao juiz da 37ª Vara do Trabalho, onde tramita o processo, que sejam efetuados os cálculos relativos à atualização da dívida de 2006 até a data do efetivo pagamento, sem prejuízo da liberação dos valores apurados pelo perito judicial.
Os cálculos agora vão ser analisados pelo Itaú. Só depois disto o juiz decidirá sobre o pleito do Sindicato a respeito da liberação do que já foi calculado. Quanto aos que ainda não receberam, o próprio Itaú solicitou ao juiz que arbitrasse o valor a ser pago, pois alega não ter condições para localizar a documentação destes banerjianos.